AMBIENTE ACREANO: APESAR DO REFERENDO, ACRE NÃO MUDA O FUSO HORÁRIO
Google
Na Web No BLOG AMBIENTE ACREANO

quinta-feira, março 10, 2011

APESAR DO REFERENDO, ACRE NÃO MUDA O FUSO HORÁRIO

Nas eleições, 56,8% da população optou por voltar a horário duas horas atrás de Brasília. Medida não foi adotada

Nayanne Santana - O Estado de S.Paulo

Os acreanos não sabem ao certo qual fuso horário será adotado pelo Estado. Um referendo realizado em outubro do ano passado apontou que 56,8% da população prefere atrasar os relógios em uma hora e, assim, ficar a duas horas de diferença de Brasília. No entanto, até agora os relógios não foram acertados, pois a Câmara Federal concluiu que a consulta popular não foi válida.

A confusão começou em 2008, quando o então senador Tião Viana (PT), hoje governador do Estado, apresentou uma lei que alterava o horário do Acre e de parte do Amazonas e do Pará, em vigor desde 1913. O texto foi aprovado e os acreanos tiveram de adiantar os relógios em uma hora, ficando com uma hora de diferença de Brasília.

A mudança, no entanto, não foi bem aceita pelos acreanos, e a Câmara decidiu pelo referendo. Passados quase cinco meses da consulta popular, a Câmara concluiu que o referendo não foi válido porque os moradores de parte do Amazonas e Pará, onde a lei de 2008 também vigora, não foram consultados.

O impasse incomoda os acreanos. Na opinião do professor Evandro Ferreira, o fato de não ser respeitada a vontade do povo é um desrespeito à Constituição. "É um golpe contra a democracia. Está na Constituição que a população poderá, por meio de voto, decidir. Isso não pode virar uma barganha política. Nós votamos e queremos resultado", afirma. Desde que a lei de Tião Vianna entrou em vigor, Ferreira usa seu blog para divulgar artigos e matérias nas quais questiona a alteração do fuso horário.

E agora, no Estado a história virou motivo de piada. Na época da campanha do referendo, alguns afirmavam que "a hora de Deus" seria a do fuso estabelecido em 1913 e a hora modificada em 2008 seria "a hora do Tião".

"Esse é o fuso mais confuso que já vi na vida. Agora vivemos numa hora incerta aguardando a decisão dos políticos", diz a aposentada Maria Justa.

Embora haja muita expectativa, o impasse sobre a hora definitiva do Acre deve se estender por pelo menos mais 30 dias, quando o Senado deverá votar um projeto de lei que ratifica o resultado do referendo, restabelecendo o fuso horário de 1913. O texto está em elaboração na Comissão de Constituição e Justiça.

Foto: Agência Brasil
Publicado por Evandro Ferreira 3 comentários Digg! Link Permanente Envie este artigo para um amigo

3 Comments:

Blogger Isaac Melo said...

Democracia e soberania do povo, palavras jogadas na lixeira e vazias de significado no Brasil, onde um bando de estúpidos decidem a seu bel-prazer e conforme suas inescrupulosas interpretações o que é e o que não é!

06:22  
Anonymous O ACRE EXISTE? said...

Há quase meio século não víamos um golpe tão grave à democracia no Brasil. A Constituição de 1988 é clara ao dispor que todo poder emana do povo e será exercido indireta e DIRETAMENTE. Em poucas vezes na história do Brasil o povo realmente decidiu diretamente assuntos de seu interesse. No caso do fuso horário do Acre, a vontade do povo está sendo DESCARADAMENTE ignorada. Os senadores acreditam que após serem eleitos se tornam os verdadeiros DONOS do poder (no sentido jurídico de propriedade mesmo) e ao analisar os fatos devemos acreditar nisso (com o foro priviligiado, verba de gabinete de meio milhão de reais por mês, impunidade, etc, etc). Devemos acreditar quando a Justiça Eleitoral diz que as eleições são a festa da democracia? Ou será que elegemos SOBERANOS para dizer o que e quando fazer ao povo, indepedentemente de sua vontade, angariando benefícios pessoais em prejuízo da coletividade?
O que ainda mais me decepciona nesse episódio é a passividade em geral da população do Acre. Onde está o sentimento de cidadão, não somente para os que votaram NÃO, mas para todos os demais?
Aliás, não me recordo quem disse no início de todo celeuma que quem MANDAVA no ACRE não era o povo e que quem quissesse o horário antigo deveria esperar mais 100 anos. Será que ele estava com a razão e todos nós somos mesmos IDIOTAS e IMBECIS em acreditar na democracia?
Os cidadãos acreanos deveriam ter brio para por conta própria fazer respeitar seus direitos e adotar automaticamente o horário escolhido pela maioria. Quando te perguntarem a hora: São 10 no horário do Acre que o povo escolheu e já são 11 no horário do Congresso Nacional.
Onde está a mobilização da sociedade, manifestação nas ruas, divulgação na imprensa internacional, onde estão os homens de bem? Como disse Martin Luther King "o que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, ... O que me preocupa é o silêncio dos bons."
Ou lutamos para viver em uma democracia (será que a luta dos que nos antecederam foi em vão?) ou admitimos que não vivemos em uma democracia, mas sim uma HIPOCRISIA INSTITUCIONAL chamada BRASIL.

13:04  
Anonymous pedro borges said...

Concordo. Nem na época da ditadura, vi tamanha afronta à democracia.
O Said acertou em gênero, número e grau. Chego a dar risadas em quem acredita na via democrática. Como diz o pessoal do casseta e planeta: Ô povinho bunda.

09:12  

Postar um comentário

Link permanente:

Criar um link

<< Home