Google
Na Web No BLOG AMBIENTE ACREANO

26 março 2008

PERIGO NO USO CASEIRO DO ÓLEO DE ANDIROBA

Estudo realizado em laboratório indica que o uso oral do óleo pode causar problemas no fígado

Pesquisadores das Universidades Federais de Pernambuco e do Pará publicaram estudo que indica que o consumo por via oral do óleo de andiroba (Carapa guianensis) pode afetar negativamente o fígado. O trabalho foi publicado na revista Journal of Ethnopharmacology (Volume 116, No. 3, 28 de Março de 2008).

O óleo de andiroba, extraído das sementes, tem sido tradicionalmente usado por comunidades rurais da Amazônia para o tratamento de tosses, convulsões, doenças da pele, artrite, reumatismo, infecções de ouvido e para tratar feridas e arranhões. Outro uso muito popular da planta é como repelente de insetos.

O estudo usou ratos para testar a toxidade aguda e subaguda do uso oral do óleo extraído das sementes de andiroba. No teste de toxidade aguda (0.625–5.0 g de óleo/kg) não foram registrados sintomas perigosos ou mortes. As avaliações de toxidade subaguda (0.375, 0.75 e 1.5 g de óleo/kg) também não resultaram em alterações, incluindo ganho de peso e aumento ou diminuição do consumo de alimentos ou água nas cobaias.

Os testes hematológicos também não mostraram qualquer diferença significativa nos parâmetros analisados. Entretanto, os parâmetros bioquímicos mostraram um aumento de 29% no nível de Alanine Aminotransferase (ALT) no grupo tratado com dose de 1.5 g de óleo/kg. Além disso, foi observado um aumento absoluto e relativo do peso do fígado, nas cobaias tratadas com doses de óleo na proporção de 0.75 g/kg (23.4 e 19.1%) e 1.5 g/kg (18.7 e 33.1%).

A conclusão do estudo é de que embora a administração de doses orais de óleo em quantidades suficientes para causar toxidades agudas e subagudas não tenham produzido efeitos tóxicos nos animais, o aumento do nível da ALT indica que o fígado dos mesmos inflamou, um sinal de possível toxidade hepática do consumo do óleo.

Clique aqui para ler, no Blog Biodiversidade Acreana, o resumo (em inglês) do estudo "Acute and subacute toxicity of the Carapa guianensis Aublet (Meliaceae) seed oil", de autoria de J.H. Costa-Silva, C.R. Lima e E.J.R. Silva (Department of Pharmaceutical Sciences, Federal University of Pernambuco), A.V. Araújo e M.C.C.A. Fraga(Department of Physiology and Pharmacology, Federal University of Pernambuco), A. Ribeiro e Ribeiro e A.C. Arruda (Department of Chemistry, Federal University of Pará, Belém, Pará) e S.S.L. Lafayette e A.G. Wanderley (Department of Pharmaceutical Sciences e Department of Physiology and Pharmacology, Federal University of Pernambuco).

Crédito da imagem: Otávio Campos Sales, site Olhares.com

6 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Gostaria de saber se há algum estudo sobre o uso tópico do óleo de andiroba.
Maria Aparecida Cabral
Taubaté - SP

29/08/2009 09:34  
Blogger Unknown said...

MEU MARIDO TOMOU O OLEO DURANTE UNS 5 DIAS E SE SENTIU BEM NÃO TEVE MAIS FRAQUEZA NEN DOR NO ENTESTINO

23/05/2010 19:34  
Anonymous Celso Fioravante said...

Dedse que conheci o óleo de andiroba, em Soure, na Ilha do Marajó, há mais de cerca de 20 anos, não vivo mais sem ele. Três gotas delo no mel, via oral, têm me curado qualquer gripe e há anos não sei o que são males respiratórios. Parece até que me aumentoua resistência. Para mim é um santo remédio.

13/06/2010 15:03  
Anonymous Walter said...

Olá! Tudo que é da natureza, e estes óleos são realmente medicinais, desde que os tomemos em doses homeopáticas, sem concentração no organismo, dando pausas nas tomadas de tempo em tempo, acredito que só nos farão bem!acredito naquela máxima de Hipócrates: "Que seu alimento seja o seu remédio, e o seu remédio seja o seu alimento". Grande sabedoria!!!

05/01/2016 15:50  
Blogger CONECTIVIDADE said...

A muito tempo atras minha garganta amanheceu inflamada. Tomei uma colher de azeite de andiroba. Coincidencia ou naum... amanheci perfeita no outro dia. Foi a única vez que o ingeri

08/03/2016 21:16  
Blogger Unknown said...

Essa pesquisa feita sobre o Andiroba é mais uma farsa de pesquisadores comprados pela indústria farmacêutica. Eles não quer o povo com saúde.. querem povo doente consumindo seus produtos .que nos matam..Deus deixou todos os remédios na natureza..basta sabermos utilizar.Tomo 5 gotas de Andiroba e Copaíba duas vezes ao dia.O óleo tem que ser puro.

05/05/2017 07:51  

Postar um comentário

<< Home