AMBIENTE ACREANO: HEIKO BLEHER PRESO NO BRASIL
Google
Na Web No BLOG AMBIENTE ACREANO

sábado, agosto 30, 2008

HEIKO BLEHER PRESO NO BRASIL

Pesquisador é considerado uma lenda na área de estudo de peixes. Para muitos o mais famoso coletor de peixes do mundo

Joana Queiroz
da equipe de A CRÍTICA

O biólogo e pesquisador alemão Heiko Bleher, 64, e a fotógrafa Natalya Khardina, 29, do Uzbequistão, na Ásia Central, foram presos ontem por agentes federais do Núcleo de Fiscalização de Tráfico Internacional da Polícia Federal do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes quando tentava embarcar em um vôo internacional da TAM com destino a Miami, nos Estados Unidos, levando em suas bagagens várias espécimes de peixes ornamentais e comerciais embalados em formol e também frascos contendo fragmento de pescados conservados em álcool, sem a devida autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Entre os exemplares de peixes estavam sardinhas, carás, aracú entre outros, todos capturados, segundo o alemão, na região do rio Negro. O casal é acusado de tentativa de contrabando e crimes ambientais.

Além dos peixes foram apreendidos, ainda um notebook, duas máquinas fotográficas Nikon, três lentes teleobjetivas, e materiais que o alemão usou na captura dos pescados como rede de pesca, sarrafo, equipamento de mergulho e um sensor usado para medir as condições físicas das águas.

Segundo os peritos da Polícia Federal Marcelo Mendes e Fabiano Peres, os peixes estavam embalados em sacos plásticos com formol, separados por espécimes e com identificação do local onde foram capturados. Já os fragmentos que estavam conservados no álcool, em tubos, serviriam para identificar as espécimes por DNA. Os peixes apreendidos serão encaminhados ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Segundo o perito criminal da Polícia Federal Mário Sérgio Gomes de Farias, para o pesquisador sair do País com os peixes ele precisava obter autorização do Ibama ou estar ligado a alguma instituição de pesquisa no Brasil. Segundo o perito, com base na forma como os peixes estavam embalados e pelo material usado por ele para fazer a captura, é possível que o biológo seja um profundo conhecedor do assunto. Ele usava um sensor para medir a acidez da água e tinha um GPS para identificar a localização geográfica de onde ele fazia as capturas. Heiko capturou os peixes em dois pontos: no rio Araçá, que fica na bacia do Negro, e no rio Jutaí.

De acordo com a polícia, Heiko é um grande pesquisador nas áreas de biologia, zootecnia, oceanografia, parasitologia e em ictiologia, que é a ciência que estuda os peixes. Ele é também autor de várias publicações e viaja por vários países dando palestra.

Entre os pertences de Heiko, a polícia encontrou uma carta-convite da superintendente da Suframa Flávia Grosso para que ele proferisse palestra no próximo dia 1º, na Suframa, com o tema: "As possibilidades do desenvolvimento do Turismo da Amazônia".


NOTA DO BLOG: Não é todo dia que a PF tem a oportunidade de capturar, literalmente, um 'peixe grande' como Heiko Bleher. O homem tem mais de 500 artigos publicados e viaja pelo mundo todo coletando peixes. Clique aqui para acessar seu site e conhecer 'A Lenda' da ictiologia mundial.
Publicado por Evandro Ferreira 4 comentários Digg! Link Permanente Envie este artigo para um amigo

4 Comments:

Blogger RAIMUNDO CLÁUDIO GOMES said...

Caro Evandro,
Antes que alguém repudie a idéia de se prender um renomado pesquisador, talvez fosse interessante observar as razões pela falta de autorização do IBAMA para as pesquisas. Ora, justamente pela qualidade do pesquisador, o mesmo sabe das questões legais sobre o tema.
Para animar o debate, fica uma pergunta no ar: quantos artigos publicados pelo pesquisador foram subsidiados por pesquisas ilegais?

10:26  
Blogger Evandro Ferreira said...

Raimundo Cláidio,

Realmente não percebi este 'lado' da questão. Entretanto, de nenhuma forma o excesso de burocracia deveria servir de pretexto para justificar a biopirataria.

Quanto à pergunta, ela pode ser respondida de forma relativamente facil: se ele publicou trabalhos cuja parte de campo foi feita no Brasil, é facil saber se o CNPq deu autorização para tal. E não é só isso: a lei brasileiro exige que os holótipos de novas espécies encontradas no Brasil sejam 'obrigatoriamente' depositadas em museus brasileiros. Isso deve ser citado no trabalho científico.

Evandro

12:54  
Anonymous Anônimo said...

Chamar Heiko Bleher de pesquisador é piada. Não possui formação, titulação ou experiência alguma em pesquisa científica sujeita à avaliação e assessoria externa (pesquisa científica de alto nível). Não sei onde tiraram esta informação, mas deve ter sido do próprio web-site dele. Há muitos anos passeia pela Amazônia e outras regiões se achando um desbravador do desconhecido, um noveau Alfred Russel Wallace dos rios brasileiros, mas na verdade é um egocêntrico que desrespeita inteiramente as nossas instituições, como será comprovado. Sou um pesquisador/docente da USP e tive que passar (e ainda tenho) por escrutínios variados de várias instituições para poder realizar a minha pesquisa no nosso país de forma legal e ética. Por favor, peço que pesquisem melhor este sujeito, para que se depararem com a dura realidade de que trata-se de um fanfarrão arrogante que sabe, e isso sim, vender a sua própria imagem.

18:42  
Anonymous Anônimo said...

Estou totalmente de acordo com o comentário anterior, é uma pessoa arrogante de nariz empinado que pensa que ninguém é melhor que ele.
É bem feito que o tenham apanhado em ilegalidades e que pague por isso. Tem enriquecido à conta de muitas ilegalidades que cometeu.

14:23  

Postar um comentário

Link permanente:

Criar um link

<< Home