AMBIENTE ACREANO: MUSEU 'CASA EDUARDO RIBEIRO'
Google
Na Web No BLOG AMBIENTE ACREANO

domingo, julho 18, 2010

MUSEU 'CASA EDUARDO RIBEIRO'

A ‘belle époque’ de Manaus: Casa de governador do Amazonas no século XIX é reconstruída e vira museu

Cristina Romanelli
Revista de História da Biblioteca Nacional

Em pleno século XIX, o maranhense Eduardo Ribeiro (1862-1900), negro e pobre, resolveu ser jornalista. Foi aluno de Benjamin Constant (1836-1891) e colega de trabalho de Aluisio Azevedo (1857-1913). Mudou-se para Manaus e acabou virando governador do estado do Amazonas. Como se não bastasse, ele ainda foi o responsável por uma grande transformação na capital, que passou a ser conhecida como “Paris dos trópicos”. Mais de cem anos depois, é inaugurada a Casa Museu Eduardo Ribeiro. A antiga residência, que estava em ruínas, foi reconstruída e restaurada, com móveis e decoração da época. Além disso, o acervo tem documentos como o álbum de fotos da cidade feito em 1901 e exemplares originais de duas Constituições do estado.

“Manaus era uma aldeia. Ele transformou a cidade. Fez um plano urbano, trouxe água encanada, luz elétrica, telégrafo. Construiu o porto, o Teatro Amazonas, o Palácio da Justiça, o Palácio do Governo. Também reformou e modernizou o ensino, a saúde, e aumentou a arrecadação do estado com um plano de gestão financeira”, conta Robério Braga, secretário de Cultura do estado do Amazonas e curador do museu.

Construída no período da economia da borracha (1880-1914), a casa de três andares fica a pouco mais de cem metros do Teatro Amazonas (1881), no centro histórico de Manaus. Depois de ser residência de Ribeiro, ainda foi ocupada pela família do engenheiro Bretislau de Castro, por repartições federais de saúde e pelo Conselho Regional de Medicina. O térreo hoje é a sede da Academia Amazonense de Medicina, onde funciona um Museu Digital. Alguns cômodos foram dedicados à história de Bretislau de Castro, com documentos variados, como fotos da família.

“A casa estava abandonada, em ruínas, e só tinha quatro paredes”, afirma Braga. Ela foi reconstruída de 2007 até o início deste ano, a partir de fotos e vídeos, e mobiliada conforme o inventário de Eduardo Ribeiro, publicado na imprensa. Além dos móveis, nos dois andares superiores há roupas, objetos pessoais, equipamentos de trabalho e utensílios domésticos que tentam recriar o modo de vida do final do século XIX e do início do século XX. Entre os documentos expostos estão um mapa de Manaus de 1892 e as plantas originais do Teatro Amazonas, assinadas por Ribeiro.

Além das exposições, o museu tem uma atividade diferente, para quem quer sentir como era viver cem anos atrás. Duas vezes por semana, artistas com roupas características da belle époque contam histórias sobre o período da borracha e sobre a vida pessoal e política dos antigos moradores do palacete. Depois disso, os visitantes seguem para um dos salões da casa e participam de um sarau com piano. O passeio termina nos jardins, onde é realizado outro sarau, com instrumentos como violino e flauta.

Saiba mais - Serviço:

A Casa Museu Eduardo Ribeiro fica na Rua José Clemente, 322, Centro – Manaus. De segunda a sexta, das 9h às 17h, e aos domingos, das 16h às 21h.

Foto: Blog FDOTS
Publicado por Evandro Ferreira 0 comentários Digg! Link Permanente Envie este artigo para um amigo

0 Comments:

Postar um comentário

Link permanente:

Criar um link

<< Home